Podcast – Entrevista com Tim Ahn sobre FSMA e FSSC

Tim Ahn LRQAPodcast – Entrevista com Tim Ahn sobre FSMA e FSSC 

LRQA

Fevereiro 2017

Download now

MC

Bem-vindo à série de podcasts do LRQA. Antes da Conferência Global sobre Segurança De alimentos, conversamos com Tim Ahn, Gerente Técnico Sênior de Segurança de Alimentos do LRQA Américas, sobre temas emergentes de segurança de alimentos, incluindo tecnologia, FSMA e FSSC 22000.

Bem Tim, primeiramente, é um prazer enorme falar com você; gostaria de começar este podcasts falando sobre tecnologia, que está começando a fazer definitivamente uma mudança no mundo da segurança de alimentos. Você poderia falar para nós sobre as mudanças que estão sendo realizadas em relação ao e-learning, avaliações remotas e a possibilidade das organizações estarem aptas a verem sua cadeia inteira de suprimentos remotamente? 

TA

A tecnologia está definitivamente se ramificando através do mundo da segurança de alimentos e, como falaremos mais tarde, não é somente na área de comunicações e na possibilidade de avaliação e treinamento, mas também em ferramentas para segurança de alimentos e desenvolvimento, e isto é muito interessante. 

Em relação à área de e-learning, avaliação remota e transparência para a cadeia de fornecedores, é realmente emocionante. Deixe-me falar primeiro da área de e-learning, eu acho que e-learning está possibilitando realmente que áreas da indústria de alimentos tenham acesso à informação, treinamento, informação que eles nunca tiveram acesso antes e porque eu não vejo o e-learning como um substituto ao aprendizado tradicional. Eu ainda penso que você terá métodos de aprendizagem em sala de aula tradicionais e aulas de auditoria e coisas assim.

Entretanto, há uma parte da cadeia de alimentos na cadeia de fornecedores, companhias que são muito pequenas – pequenos processadores, fazendeiros – que não tem a possibilidade de viajar ou tempo para lidar com os custos ou despesas para viajar para atividades de treinamento. Desta forma, o e-learning realmente traz isto a estes indivíduos, e possibilita a eles ter acesso à informação que eles poderiam não ter. E isto é realmente importante para a segurança de alimentos, porque tudo em torno da segurança de alimentos é o entendimento do que são os requisitos e o entendimento dos riscos e para isto é necessário conhecimento e competência, e esta é uma forma de proporcionar isto. Então, é muito, muito excitante e eu acho isso um grande avanço da área de segurança de alimentos.

A outra coisa que você comentou é a avaliação remota, e eu amarraria avaliação remota com a possibilidade de olhar para sua cadeia de suprimentos inteira. Temos que lembrar hoje que a cadeia de suprimentos para alimentos é inacreditavelmente complexa, nós falamos de pequenos produtores e fazendeiros através de sistemas de distribuição; de grandes fabricantes e processadores e também de pequenos fabricantes e fornecedores ao longo do caminho até o consumidor final. E, ter a transparência que é vital porque, se você tiver um problema, uma fraqueza ao longo de toda esta cadeia, você pode ter um problema.   

A questão que temos hoje é que nós fazemos um trabalho muito, muito bom olhando para estes fornecedores grandes e fabricantes médios com os métodos tradicionais, mas não conseguimos isto para os pequenos processadores e produtores porque há muitos deles. E eu penso que a avaliação remota irá permitir que seja feito isto, que possamos ter informações e determinar como estes fornecedores estão aptos a gerenciar seus riscos e requisitos de conformidade. Então sim, a avaliação remota e transparência irão melhorar muito a segurança de alimentos e prover uma visão mais compreensiva da cadeia de suprimentos.

MC

Tim, vamos continuar olhando para tecnologia. No passado, a fadiga de auditoria foi frequentemente citada pelas organizações como um problema. Como poderia a tecnologia ajudar a aliviar isso? 

TA

Esta é uma questão interessante porque de um lado você tem a necessidade de ter mais informação, olhar mais intensivamente para suas funções com as organizações e a cadeia de fornecedores e isto requer mais auditorias, mais visitas. Assim sendo, os fornecedores ficam desgastados, ou eles usam este termo “fadiga de auditoria”, o que significa basicamente que eles estão cansados de serem visitados continuamente pelas organizações para ter as mesmas informações, então eu acho que isto é um problema real.

Em longo prazo, conforme estivermos aptos a usar a tecnologia para conectar informações, pode ser que não seja mais necessário fazer tantas visitas aos fornecedores e em tantas plantas e localizações.  Porque esta redundância que você vê, tentando conseguir a mesma informação de novo, e de novo, poderá ser disponibilizada para qualquer um que estará comprando materiais daquela organização.

Entretanto, digo que eu penso que isto é em longo prazo; em curto prazo, nós ainda teremos esta questão, porque o problema é que nem todo mundo hoje é capaz de compartilhar todas as informações. E um dos objetivos da GFSI era reduzir o número de auditorias e que você soubesse que a informação está disponível, mas nós não percebemos isso ainda. 

Em curto prazo, isto é aspiracional; em curto prazo, nós ainda teremos este problema. Eu acho que isto será um problema ainda maior ao passo que passamos a ter uma análise ainda maior dos fornecedores e das cadeias de suprimentos. Entretanto, esta é uma solução em longo prazo e uma forma de evitar a redundância em auditorias na medida em que todos da cadeia de suprimentos estiverem confortáveis em compartilhar informações; então, você poderá conectá-la. Porque a tecnologia está lá para conectar a informação, não é um problema de tecnologia, é mais uma questão referente à habilidade e desejo de compartilhar a informação. Mas eu penso que haverá uma movimentação neste sentido, só não tenho certeza de quão rápida ela será. 

MC

Certo, Tim, vamos agora seguir e olhar para o FSMA, a Lei de Modernização de Segurança de Alimentos dos Estados Unidos. Por que é tão importante para as organizações de fora dos Estados Unidos entenderem o FSMA e estarem prontas para ele?   

TA

Há dois lados nisso. O primeiro é que o mercado dos Estados Unidos é muito grande e há muitos, muitos fornecedores alimentando com materiais este mercado e parte da legislação do FSMA é esta verificação de fornecedores estrangeiros. Então, as mesmas regras que são aplicadas aos fornecedores domésticos americanos serão essencialmente aplicadas a qualquer um que forneça materiais a este mercado. O que significa basicamente o mundo inteiro, porque todos estão fornecendo matéria prima e produtos ao mercado americano, então eles terão que estar cientes disto e estarem aptos a satisfazer as expectativas disto.

A outra coisa é que os Estados Unidos, sendo um grande mercado, também é visto como um local onde países menores irão espelhar suas abordagens e legislações, especialmente na USDA e legislação americana. Muitos dos maiores países do mundo já têm legislação de segurança de alimentos muito desenvolvida e você pode argumentar que muitos países estão provavelmente mais avançados que os Estados Unidos, e estamos realmente alcançando o resto do mundo com o FSMA. Entretanto, há muitos países menores no mundo que não têm legislação desenvolvida ou abordagens legais para a segurança de alimentos e olharão para os Estados Unidos como um modelo a ser seguido para construir seus programas. Além disso, por causa destas duas coisas, os Estados Unidos serem um modelo para países menores e a parte sobre fornecedores estrangeiros, o FSMA é incrivelmente importante e todos precisam entender o que há nele e o que precisa estar em conformidade com ele.

MC

Tim, esta é uma resposta muito interessante. Você pode falar para nós sobre a importância da última atualização da FSSC 22000?

TA

Então, a FSSC, que é um dos esquemas GFSI, continuou a evoluir ao longo do tempo, e houve mudanças e melhorias no esquema de benchmarking e também desenvolvimento dentro da comunidade global de segurança de alimentos em torno de diferentes abordagens e coisas. Então o ponto importante sobre a FSSC é que tem sido muito, muito responsiva em ser capaz de garantir que está atualizada com estas mudanças.

Este último conjunto de revisões, que é a versão quatro, é muito importante porque há alguns aspectos chave, como auditorias sem aviso prévio, e isto é algo que muitos outros esquemas já tinham e a FSSC não. É uma mudança que está fazendo a FSSC estar mais alinhada com outros esquemas, então auditorias sem aviso prévio são bastante significativas.

E depois toda aquela parte sobre contaminação intencional. Você sabe que pessoas e organizações precisam se proteger de contaminação intencional de produtos, então é outra parte muito importante no desenvolvimento que este esquema está trazendo. 

Além disto, o momento desta revisão se alinha com algumas mudanças importantes para algo chamado ISO 22003, que é uma norma fundacional que estabelece as coisas para mudanças em categorias para grupos de alimentos, setores de alimentos, duração de auditorias e tempo que um auditor precisa estar na fábrica, no chão de fábrica. Logo, são mudanças importantes e estas mudanças neste documento fundacional ISO 22003 mais as mudanças na versão quatro realmente ajudam a impulsionar e apoiar este esquema muito importante. Tendo a certeza de que está alinhado com a GFSI e sendo moderno e robusto para coisas que estão acontecendo, particularmente coisas como a Lei de Modernização de Segurança de Alimentos dos Estados Unidos.   

Então, é uma coisa ótima, uma coisa boa, é uma grande mudança e eu penso que organismos de certificação, e também os clientes, terão que fazer agora mudanças nos termos de como eles reagem e como respondem a isto, particularmente sobre auditorias sem aviso prévio porque isto é uma grande mudança. Mas eu acho que isto é uma coisa boa e realmente fala sobre como a FSSC é um esquema bom.

MC

Agora, Tim, podemos dar uma olhada na GFSI, GFSC e temas de segurança de alimento. E eu queria saber quais são os temas que estão dominando a segurança de alimentos hoje nos Estados Unidos e globalmente?

TA

Claro, já falamos um pouco sobre o impacto da Lei de Modernização de Segurança de Alimentos dos Estados Unidos e eu acho que este é provavelmente o tema número um que você verá e todos estão agora percebendo que os controles preventivos para alimentos estão em jogo e precisam ser seguidos. O trabalho de verificação de fornecedores estrangeiros também, os requisitos estão vindo a bordo. Então, acho que se tem uma coisa que você irá ouvir e, particularmente, como a conferência está vindo, você sabe, este mês, vai ser o FSMA e como ela afeta a segurança de alimentos. 

Mas há algumas coisas próximas ao FSMA que podem não ter necessariamente a atenção, mas são inacreditavelmente importantes e que a indústria de alimentos sabe e é muito preocupada e ativa nesta área. E há duas áreas, e elas estão conectadas, que eu quero destacar e uma é a ênfase no controle ambiental de patógenos nas fábricas. Então, tem havido uma grande ênfase, e particularmente nos Estados Unidos, através de atividades regulatórias, sobre como os fabricantes controlam o ambiente, e particularmente, como controlam patógenos como listeria e salmonela. 

Então é muito, muito importante, porque não apenas está mudando a forma como as companhias agem, em termos de limpeza e programação de fábricas e design de equipamentos. Mas também como elas verificam, o que fazem a respeito de testes e como respondem e preparam-se para todo tipo de inspeção regulatória, então é uma área muito importante. 

E relacionado a isto está também a tecnologia a respeito de sequência de genoma o que realmente se amarra à abordagem de patógenos ambientais, porque agora as ferramentas estão aí para conectar claramente os patógenos existentes em alimentos aos patógenos ambientais. E quando você pode fazer esta conexão, então você está apto a fazer questões sérias e significativas sobre controle e todas essas coisas. 

Então, FSMA é claramente um tópico importante e dominante, mas também esta coisa de sequência de genoma e controle de patógenos ambientais também é importante e se você olhar nos Estados Unidos, tem havido recentemente atividades significativas de recall que reforçam a conexão entre esses dois.  

E as companhias precisam pensar sobre como você sabe que elas estão preparadas, se elas realmente sabem o que está acontecendo em seu próprio ambiente e se estão preparadas para reagir quando tem um problema e qual o resultado dele. Então, para mim, estes são temas dominantes na segurança de alimentos hoje. 

MC

Obrigado Tim, uma resposta realmente interessante. E olhando para os últimos cinco anos, nos últimos cinco anos, quais você diria que foram os desenvolvimentos mais significativos, que você viu no mundo da segurança de alimentos; e sobre as mudanças da GFSI e GFSC e para o foco de seus membros?

TA

Falando sobre o mesmo tipo de temas que eu falei antes sobre o que está lá fora hoje e tem sido construído através dos últimos anos, então a Lei de Modernização de Segurança de Alimentos não é algo que aconteceu este ano, está em construção há alguns anos. Logo, isso vem crescendo e é um importante desenvolvimento. 

O uso da tecnologia em, você sabe, sequência de genoma e monitoramento ambiental, essas coisas também têm sido construídas. Mas, além disso, este conceito de real entendimento das cadeias de suprimentos, ter transparência para a cadeia de suprimentos e realmente perceber que você é apenas tão bom quanto o elo mais fraco em sua cadeia de suprimentos, eu acho que isso realmente foi visto e compreendido e apreciado dentro da indústria. E o resultado é um foco maior na verificação dessa cadeia de fornecedores, o que novamente leva a auditorias e coisas como os esquemas GFSI. 

E quando você vai a conferências e você olha para essas atividades e você olha para coisas que a GFSI está fazendo, é realmente sobre conectar todas aquelas peças da cadeia de suprimentos.  

Há dez anos, talvez, era muito mais sobre a necessidade dos varejistas terem uma abordagem de auditoria padronizada e depois você via a introdução dos fornecedores e fabricantes porque eles realmente queriam ter uma voz sobre isto.

Agora, eu acho que você vê realmente todos os aspectos da cadeia de suprimentos, então seus fornecedores, produtores e fabricantes, seus varejistas, mas também coisas como CBs, como nosso grupo. Acadêmicos, você agora vê muito mais envolvimento da universidade e vendo como isto está realmente vindo para GFSI ser o primeiro centro e voz de discussões de segurança de alimentos no mundo. Então, realmente foi uma construção, mas acho que essa coisa em torno de uma cadeia de suprimentos conectada é realmente valiosa e, agora, você está começando a ver muita atividade ao redor.

MC

Tim, e se nós olharmos, como você mencionou as mudanças e desenvolvimentos, como eles impactaram a importância e os benefícios da auditoria, certificação e treinamento para profissionais e organizações de segurança de alimentos no setor de alimentos?

TA

Absolutamente vital e importante e eu acho que estas três áreas que você mencionou são as corretas e estão conectadas. Se você começar com avaliação, a necessidade de realmente entender e verificar a sua cadeia de fornecimento é importante e você não comprará mais materiais de locais onde não tem certeza do que está acontecendo, você precisa entendê-los e coisas como a Lei de Modernização de Segurança de alimentos exige que você faça isso.

Então isso é realmente importante, e depois como você faz isso. Bem, um dos melhores caminhos para fazer isso é ir e ser certificado num esquema, e eu acredito que a certificação não só fornece confiança a você do que você está comprando, mas também fornece um nível, fornece independência, o que é realmente importante quando você está olhando para credibilidade. 

Então quando você quer ter uma avaliação com credibilidade da sua cadeia de fornecedores, ter uma verificação independente é muito, muito importante, porque isso basicamente diz que você trouxe alguém que é um especialista, que tem a capacidade de ser independente das partes envolvidas e que realmente fez uma avaliação.

Então certificação e avaliação são realmente críticos e eu acho que você pode ver como o número de certificações aumentou e continua a aumentar e como os esquemas se expandiram, isso se torna uma ferramenta muito, muito valiosa. 

Depois, a outra parte é treinamento e é muito importante porque você precisa entender o que está fazendo e como esses esquemas são complexos, a abordagem de como você irá implementá-los pode ser desafiadora e você precisa entender realmente o que está fazendo. E eu acho, como disse, no passado as maiores companhias tinham treinamento, entendimento e habilidade para fazer isso. 

Agora, o que você vê é que enquanto a cadeia de fornecedores se torna mais transparente e se expande, todos na cadeia de alimentos precisam de treinamentos e eu acho que há um desejo e uma necessidade de ter a certeza de que o treinamento está disponível, é efetivo.

Portanto, houve uma grande necessidade e uma grande atração de todos os tipos de indivíduos para ter mais formação e fornecer seja treinamento de auditoria, seja o treinamento de esquema, ou mais fundamentais como avaliar riscos e coisas básicas sobre a tecnologia de alimentos. 

Então você tem a convergência de avaliação, certificação e treinamento, tudo vindo junto, e eu acho que as organizações terão uma necessidade para isso e continuarão a fazê-lo.

MC

Obrigado por ouvir nossa série de podcasts do LRQA. Para mais informações sobre os serviços do LRQA para alimentos visite www.lrqa.com.br. A conferência Global de Segurança de Alimentos será em Houston, Texas, este ano e irá de 28 de fevereiro a dois de março. Para mais informações visite  www.mygfsi.com